Publicidade

Posts com a Tag Amistoso

sábado, 14 de julho de 2012 Amistosos, Fora dos campos | 16:09

Tensão no Hamburgo e no Dortmund

Compartilhe: Twitter

A temporada ainda nem começou e o clima já esquentou no Hamburgo. No treinamento desta sexta-feira 13, o atacante sul-coreano Son Heung-Min se irritou com uma bronca que levou do defensor sérvio Slobodan Rajković e partiu para cima do colega já dando golpes de kung fu. O problema é que Rajković se esquivou da agressão e a voadora acertou o rosto do jovem atacante turco-alemão Tolgay Arslan, que estava logo atrás.

Veja na sequência de imagens:
(Fotos: Bild)

Outra confusão aconteceu neste sábado, no amistoso em que o Borussia Dortmund perdeu do Club Brugge, da Bélgica, por 3 a 1, na casa do adversário. Antes mesmo do jogo começar, a torcida dos Amarelos entrou em confronto com os fãs dos donos da casa e chegaram a invadir o gramado. O goleiro Weindefeller e os meias Kehl e Grosskreutz tiveram que conter a torcida.

Só para informar que o único gol do BVB foi do recém-contratado brasileiro Leonardo Bittencourt.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 14 de novembro de 2011 Amistosos, Seleção da Alemanha | 12:29

Prévia de Alemanha x Holanda. Jogaço!

Compartilhe: Twitter

Para fechar o ano com a moral lá em cima, a Alemanha volta a campo nesta terça-feira, contra a Holanda, em Hamburgo. O amistoso será o último jogo da Nationalelf em 2011 e a ideia é não perder. A equipe de Joachim Löw, foi derrotada apenas uma vez no ano, num jogo amistoso diante da Austrália, em março, disputado em M’gladbach.

> Veja a agenda de jogos completa da seleção da Alemanha

Rijkaard cospe em Völler - Copa de 90

Quando: 15/11/2011, terça-feira
Onde: Imtech-Arena, em Hamburgo (ALE)
Porque: Amistoso
Horário: 17h45 (de Brasília)
Na TV: Sportv e Esporte Interativo

Para este duelo, Löw deve testar um ataque novo, com Mario Gomez e Klose no comando ofensivo desde o início da partida. Ausente no empate contra a Ucrânia, o goleiro Neuer volta à meta titular, assim como Podolski e Müller, reservas na última sexta feira. Höwedes e Mertesacker devem ocupar as vagas de Träsch e Hummels.

A provável escalação será essa: Neuer, Höwedes, Mertesacker, Badstuber e Aogo; Khedira e Özil; Thomas Müller e Podolski; Mario Gomez e Klose.

Posso ser ousado no meu palpite? Aposto em 3 a 0 para a Alemanha!

Final da Copa de 1974

Números e curiosidades do duelo

– Total de jogos: 37
13 vitórias da Alemanha, 10 vitórias da Holanda e 14 empates
– A Nationalelf marcou 72 gols e sofreu 63
– Dos 14 empates, apenas dois foram sem gols
Cinco jogos aconteceram em Copas do Mundo
Quatro partidas foram por Eurocopas
– O primeiro jogo sem ser amistoso foi a final da Copa de 74
– 15 jogos aconteceram na Holanda e 17 foram na Alemanha
– Amsterdã já recebeu 8 partidas; Düsseldorf já foi palco de 5
– Em Hamburgo, dois jogos, com um empate e uma derrota
– Alemanha nunca venceu a Holanda em novembro (4 jogos)

Primeiro jogo
24/04/1910 – Amistoso em Arnheim (HOL)
Holanda 4 x 2 Alemanha

Klose jogou o amistoso de 2005

Partida com maior número de gols
24/03/1912 – Amistoso em Zwolle (HOL)
Holanda 5 x 5 Alemanha

Primeira vitória alemã
21/04/1924 – Amistoso em Amsterdã (HOL)
Holanda 0 x 1 Alemanha

Maior vitória alemã
21/10/1959 – Amistoso em Colônia (ALE)
Alemanha 7 x 0 Holanda

Jogo mais importante
07/07/1974 – Final da Copa de 74, em Munique (ALE)
Alemanha 2 x 1 Holanda

Última partida
17/08/2005 – Amistoso em Roterdã (HOL)
Holanda 2 x 2 Alemanha

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 11 de novembro de 2011 Amistosos, Seleção da Alemanha | 20:12

Empate com gosto de vitória

Compartilhe: Twitter

Aogo e Thomas Müller

Dava até pra virar, mas a Alemanha se contentou com o empate conquistado no amistoso contra a Ucrânia, nesta sexta-feira, em Kiev – com direito a estreia da camisa nova. O time de Joachim Löw chegou a estar perdendo por 3 a 1, mas conseguiu buscar a igualdade em 3 a 3, se mantendo invicto diante do rival. Os gols germânicos foram de Kroos, no primeiro tempo, e Rolfes e Müller, já na etapa final.

Veja a agenda de jogos da seleção da Alemaha

O treinador resolveu “inventar” e montou um esquema com três zagueiros para sair jogando. E deu muito errado. Boateng, Badstuber e Hummels formaram o miolo de zaga, com Träsch e Aogo atuando nas laterais direita e esquerda, respectivamente. No meio, Khedira e Kroos formaram a dupla de volantes, com Özil e Götze mais avançados. Mario Gomez, capitão, foi o único atacante.

Com essa formação, a equipe se mostrou bastante perdida e foi para o intervalo perdendo de 3 a 1. Iarmolenko e Konoplyanka fizeram para os ucranianos, mas Kroos diminuiu marcando um golaço de fora da área. Antes de terminar os 45 minutos iniciais, Nazarenko fez o 3º gol dos anfitriões.

Aí Löw resolveu mexer na Alemanha. Tirou Khedira e Träsch e colocou Schürrle e Rolfes, voltando ao esquema usual da equipe. E melhorou bastante. Tanto que o segundo gol saiu com Rolfes, após cobrança de escanteio. Depois, o comandante ainda colocou Podolski e Thomas Müller nas vagas de Özil e Götze. Deu certo! Os dois deram a velocidade que faltava ao meio campo e o gol do empate veio após bela jogada de Müller pela esquerda.

Ainda sobraram alguns minutos para a Alemanha tentar a virada, mas o time tirou o pé do acelerador e preferiu segurar o 3 a 3. E quase que não segura, porque o goleiro Zieler, que fez sua estreia no gol alemão, salvou a equipe fazendo uma bela defesa com os pés, no último minuto. Sem contar as pixotadas de Hummels, que estava doido para entregar a partida. Ele quase cometeu um pênalti nos acréscimos.

Hummels em ação na partida

Hummels é o melhor zagueiro alemão da Bundesliga, mas na seleção só faz besteira. Incrível. Ele parece que fica lento com a camisa tricampeã. Na partida desta sexta, além do defensor do Dortmund, Aogo também fez uma partida tenebrosa. O lateral do Hamburgo até que chegou bem ao ataque, mas não acertou um cruzamento sequer. Ou batia na zaga ou atravessava toda área, com força.

Melhor da partida, para mim, foi Rolfes. Entrou e deu uma cara nova ao meio de campo, suprindo à altura a ausência do lesionado Schweinsteiger. Depois dele, Müller e Podolski, responsáveis pela maior movimentação no ataque, resultando no empate.

Mario Gomez, coitado, nem tocou na bola e saiu no segundo tempo para entrada de Cacau. O brasileiro, aliás, mostrou bastante disposição, brigando bastante pela bola e quase fez um gol chutando de fora. Götze e Özil foram mal, apagados demais. Assim como Kroos. O meia do Bayern fez um belo gol, mas esteve abaixo da sua média na temporada, que vem sendo muito boa.

O time volta a campo na próxima terça-feira, dia 15 de novembro, para encarar a Holanda, em Hamburgo. Nesse jogo amistoso, Löw deve colocar Podolski, Müller, Mertesacker e Klose como titulares. Vamos aguardar.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 27 de julho de 2011 Amistosos | 18:41

Desfigurado, Bayern fica em 2º na Audi Cup

Compartilhe: Twitter

O Bayern de Munique ficou com o vice-campeonato da Audi Cup, torneio amistoso de pré-temporada que contou com as presenças do Barcelona (campeão), Internacional (3º colocado) e Milan (4º colocado). Foi a segunda edição do evento, que tem jogos realizados sempre na Allianz Arena. Em 2009, o Bayern foi o vencedor, batendo o Manchester United na decisão.

No torneio de 2011, dá para analisar a atuação dos Bávaros mais pelo primeiro jogo, quando derrotou o Milan. Ante os italianos, o técnico Jupp Heynckes mandou a campo a equipe considerada titular. Mas na final contra o Barcelona, o comandante preferiu utilizar um time totalmente diferente, sem os principais jogadores. Deu no que deu, derrota por 2 a 0 diante dos espanhois.

Na semifinal contra o Milan, na terça, a partida terminou empatada em 1 a 1, com o Bayern vencendo nos pênaltis. O grande destaque do time alemão no duelo foi o meia Toni Kroos, autor do gol bávaro. Confesso que não morro de amores pelo jovem de 21 anos, mas tenho que admitir que ele vem melhorando muito nos últimos meses. Até com a camisa da seleção alemã ele está ganhando espaço com as boas atuações.

Schweinsteiger, com o trofeu de vice, conversa com Tinga, do Inter

O brasileiro Rafinha também fez uma boa partida pela ala direita, e Lahm, pela esquerda, apareceu com eficiência no ataque. Porém, com as subidas dos dois laterais, a zaga ficou desprotegida. Badstuber e Van Buyten bateram cabeça o jogo todo, era muito fácil penetrar na defesa do Bayern. E o sistema defensivo será o grande dilema da equipe na temporada.

Com Ribéry machucado, Robben foi o responsável pelas jogadas mais agudas no setor ofensivo. O holandês estava bem, mas saiu lesionado e pode ficar de fora da estreia da equipe na Copa da Alemanha, semana que vem. Já Ribéry, com uma torção o tornozelo, pode perder a estreia na Bundesliga, em 6 de agosto.

Na final contra o Barcelona, Heynckes mudou todo time, mantendo apenas Rafinha e Badstuber entre os titulares. Os espanhois também estavam desfalcados, sem a maioria das suas estrelas, mas tomou conta da partida. Principalmente no segundo tempo. Na primeira metade, o Bayern até chegou com perigo algumas vezes, mas falhou nas finalizações.

Todo desfigurado, os destaques foram Alaba, lateral que jogou mais pelo meio, e Olic, que formou dupla de ataque com o recém-contratado Petersen. O brasileiro Luiz Gustavo começou jogando contra o Barça, mas não teve uma atuação destacada, ficou na média. Alguns titulares entraram nos minutos finais, dando mais poder ofensivo e toque de bola ao Bayern, mas o rival segurou o placar de 2 a 0 e ficou com o título.

Time do Bayern na final contra o Barcelona
Butt, Rafinha, Boateng, Badstuber e Contento; Luiz Gustavo, Pranjic, Usami e Alaba; Olic e Petersen. Depois entraram Tymoshchuk, Schweinsteiger, Mario Gomez, Toni Kroos e Thomas Müller.

Time do Bayern na semifinal contra o Milan
Neuer, Rafinha, Van Buyten, Badstuber e Lahm; Tymoshchuk, Schweinsteiger e Toni Kroos; Robben, Thomas Müller e Mario Gomez. Depois entraram Boateng, Luiz Gustavo e Alaba.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sábado, 18 de junho de 2011 Seleção da Alemanha | 14:27

Fim da linha para Michael Ballack na seleção

Compartilhe: Twitter

Confesso que tenho postado pouco por aqui, mas as coisas no futebol alemão estão bem devagares, quase parando. Os times seguem em férias, os jogadores viajando, curtindo o descanso, nenhuma contratação bombástica até o momento… a partir da próxima semana os clubes voltam e aí começa a esquentar.

Por falar em esquentar, um assunto deu o que falar nos últimos dias na Alemanha. O Blog do Alemão adiantou no começo de março que Michael Ballack iria se aposentar da Nationalelf no duelo contra o Brasil, que será disputado em agosto. A informação foi confirmada nos últimos dias, quando o técnico Joachim Löw avisou que não convocaria mais o meio-campitsta para a seleção, e que o amistoso contra o time de Mano Menezes seria a despedida de Ballack com a camisa tricampeã.

Aí todo mundo começou a imaginar como seria a festa para o jogador, com homenagens, fogos de artifício, discurso, estádio em Stuttgart lotado e tudo mais. E não é que o Ballack resolve soltar o verbo e rejeitar o tal jogo de despedida? “Chamar um amistoso combinado há muito tempo de partida de despedida é uma farsa, na minha opinião. Sei que devo a meus torcedores essa partida, mas não posso aceitar a proposta”, disparou o atleta.

Farsa?

O que ele quer? Não vou defender Löw e nem sei qual foi o tom da conversa que eles (Löw, Ballack e Federação) tiveram, mas acredito que o tempo do meia na seleção já passou. A geração de jovens talentos que surgiu vem ganhando espaço gradativamente, deixando cada vez mais claro o processo de renovação na equipe. E o sr. Michael tem que aceitar isso. A fila anda, como diria o outro. E convocá-lo para uma Euro, por exemplo, para deixá-lo na reserva, não compensaria. Imaginem a cara de poucos amigos que ele iria ficar sentado no banco de suplentes.

E o estigma de perdedor? E as considerações sobre Ballack?

O fato é que, equanto Löw for o treinador, ele não vai ter um jogo de despedida. Por mais que ele ceda mais para frente. E se a história de Ballack na Mannschaft realmente tiver terminado, ele deixa a seleção com 98 partidas disputadas e 42 gols anotados. Um número bastante expressivo, uma participação efetiva, mas que acaba de forma melancólica, com brigas e polêmicas.

Uma pena!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de maio de 2011 Amistosos, Vídeos | 09:18

De novo, Klose?

Compartilhe: Twitter

Vão achar que estou pegando no pé do Miroslav Klose, mas o cara não é de fazer isso. Postei aqui nessa semana um gol incrível que o atacante do Bayern de Munique perdeu na última rodada da Bundesliga, contra o Stuttgart. E não é que nesta quarta-feira, num amistoso contra o Zenit, da Rússia, ele repetiu a dose?

Tudo bem que o Bayern venceu a partida por 4 a 2 e Klose anotou dois gols, mas não dá pra deixar de mostrar essa pixotada do atacante. É a idade chegando, será?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 29 de março de 2011 Amistosos, Seleção da Alemanha | 18:05

Faltaram experiência e entrosamento. Deu Austrália

Compartilhe: Twitter

Com apenas três jogadores considerados titulares começando o jogo – Schweinsteiger, Müller e Podolski – e outro entrando no segundo tempo – Klose -, a Alemanha vacilou dentro de casa e perdeu da Austrália, de virada. A grande expectativa sobre os jovens atletas, principalmente os do Borussia Dortmund, foi frustrada com a derrota por 2 a 1, em Mönchengladbach.

O primeiro tempo foi dominado pela Nationalelf, que conseguiu marcar com Mario Gomez. Müller fez um lindo corta-luz para Schürrle, que roliu para Gomez chutar no ângulo. Pelo conjunto da obra, um golaço. Os australianos assustaram em uma ou outra jogada aérea, mas o goleirão Wiese se mostrou bem firme na meta.

Wiese tentou, mas não conseguiu evitar o gol de Carney, primeiro da Austrália na partida

Digamos que os 45 minutos iniciais foram de regular para bom. A dupla de zaga formada por Friedrich e Hummels estava bem postada, e os laterais Träsch e Schmelzer foram bem na parte defensiva, aparecendo pouco ao ataque. Podolski foi o mais lúcido do time, mais uma bela apresentação.

A Alemanha voltou devagar para segunda etapa e foi castigada. Aos 16, após bobeada de Hummels, que deixou a bola passar na sua frente, Carney tocou na saída de Wiese e empatou. Dois minutos mais tarde, Träsch fez pênalti em Kewell e Wilkshire definiu o placar a favor dos visitantes.

Aliás, um pênalti bem mandrake. Achei que não foi.

Depois que levou a virada, Löw colocou Götze, Kroos e Klose na partida. Os dois mais jovens não fizeram lá muita coisa. Já o experiente atacante entrou muito bem e quase marcou em uma arrancada do meio de campo. Ele errou na hora do chute e a bola passou à esquerda do gol australiano. Klose ainda deu muito trabalho aos defensores rivais, mas não conseguiu marcar.

Que bicho é esse que apareceu no jogo? Uma abelha? Algum biólogo aí pra ajudar?

No último minuto, o atacante se preparava para chutar e caiu na área, mas o árbitro não marcou pênalti a favor da Alemanha. Tive dúvidas. Achei que ele foi levemente deslocado, mas o juizão preferiu dar cartão amarelo a Klose por simulação.

Por ser um amistoso, os torcedores germânicos não precisam se preocupar. A falta de experiência e de entrosamento pesaram demais na partida. O ruim é que o jogo entra para história como primeira derrota da Alemanha diante da Austrália. Podia passar sem essa, né?

Atuações dos alemães na partida:

Wiese – Seguro na meta, não teve culpa nos gols da Austrália. Nota 6,5
Träsch – Bem no 1º tempo, péssimo no 2º. Fez o pênalti que definiu o jogo. Nota 5,0
Friedrich – De volta à seleção, não comprometeu. Nota 6,0
Hummels – Falhou no 1º gol do adversário, mas teve uma boa atuação no geral. Nota 6,0
Schmelzer – Melhor na marcação do que na parte ofensiva. Não aproveitou a chance. Nota 5,5
Schweinsteiger – Atuação bem abaixo do que esperamos dele. Ano de 2011 ruim pra ele. Nota 5,0
Sven Bender – Fez sua estreia e mostrou nervosismo. Tímido, errou alguns passes. Nota 4,5
Schürrle – Longe da área, teve iniciativa, apesar de não mostrar o que faz no Mainz. Nota 5,5
Müller – Jogando mais centralizado, fez um partida ruim. Nota 5,0
Podolski – Principal nome do 1º tempo, pouco fez na etapa final. Nota 6,5
Mario Gomez – Apesar do belo gol, a bola mal chegou aos seus pés. Nota 6,0
Götze – Entrou e fez uma jogada razoavelmente boa no ataque. Tem futuro. Nota 6,0
Kroos – Não fez nada. Nota 4,0
Klose – Em 15 minutos, conseguiu ser um dos melhores da Alemanha. Nota 6,5

Concordam com as notas? O debate está aberto nos comentários :)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 28 de março de 2011 Amistosos, Seleção da Alemanha | 14:09

Que venha a freguesa Austrália

Compartilhe: Twitter

Depois da vitória sobre o Cazaquistão, pelas eliminatórias da Euro 2012, a seleção alemã volta a campo nesta terça-feira, para enfrentar a Austrália. A partida amistosa servirá, principalmente, para Joachim Löw observar os reservas da equipe nacional. Até por isso, o time que vai a campo será totalmente diferente do que venceu no sábado.

Khedira e Özil já retornaram ao Real Madrid e não ficam nem no banco de reservas. Os técnicos Löw e José Mourinho entraram em um acordo para que os dois voltassem logo após o duelo contra os cazaques. Philipp Lahm é outro que não fica nem à disposição. Pela sequência de jogos pelo Bayern de Munique – jogou, de forma consecutiva, nas últimas 102 partida oficiais dos bávaros – ele ganhou uma folga.

Thomas Müller deverá ser o único “titular” entre os titulares. O time que deve pegar a Austrália é esse: Wiese, Träsch, Friedrich, Hummels e Schmelzer; Sven Bender, Kroos e Götze; Müller, Schürrle e Mario Gomez. Apesar de uma Alemanha recheado de reservas, o jogo promete ser bem mais interessante que o da Euro.

Thomas Müller em ação contra a Austrália, na Copa do Mundo de 2010

Quando: 29/03/2011, terça, 15h45 (de Brasília)
Onde: Borussia Park, em Mönchengladbach
Por que: Amistoso
Ao vivo na TV: Sportv 2 e Esporte Interativo

Na história, Alemanha e Austrália se enfrentaram somente três vezes. E os germânicos venceram todas, tendo feito 11 gols e sofrido apenas três. Veja abaixo o retrospecto:

Alemanha 4 x 0 Austrália
Copa do Mundo de 2010 – Durban, África do Sul

Alemanha 4 x 3 Austrália
Copa das Confederações de 2005 – Frankfurt, Alemanha

Alemanha 3 x 0 Austrália
Copa do Mundo de 1974 – Hamburgo, Alemanha

Palpite? Hmmmmmm, aposto em vitória, claro, mas bem apertada. Uns 3 a 2 está bom, gols de Gomez (2) e Hummels, de cabeça. E você? Quanto acha que será o duelo?

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 8 de março de 2011 Amistosos, Seleção da Alemanha | 21:48

Ballack deve se aposentar da seleção contra o Brasil

Compartilhe: Twitter

A ideia do meio-campista Michael Ballack era jogar pela seleção da Alemanha até o fim da Eurocopa de 2012. Porém, a Federação Alemã de Futebol (DFB) informou, nesta terça-feira, que a aposentadoria do jogador deve acontecer no duelo entre a Nationalelf e o Brasil. O amistoso acontece no dia 10 de agosto de 2011, na cidade de Stuttgart, na Mercedes Benz Arena.

> Veja a agenda de jogos da seleção alemã

O treinador Joachim Löw visitou o Bayer Leverkusen nesta semana e já avisou que não convocará Ballack para os jogos contra o Cazaquistão (Euro) e Austrália (Amistoso), que acontecem nos dias 26 e 29 de março, respectivamente. Uma entrevista coletiva está marcada para esse mês, possivelmente para oficializar essa decisão.

Aos 34 anos de idade, Ballack tem 98 jogos disputados pela Alemanha, com 42 gols anotados. Ele jogou as Copas de 2002 e 2006.

No Bayer Leverkusen, a situação do jogador é bastante complicada. Insatisfeito com o banco de reservas, Ballack pode deixar a equipe já no meio deste ano. Seu contrato vai até 2012, mas as desavenças com o treinador Jupp Heynckes podem antecipar o fim da passagem do meia nos Leões.

Será que o Ballack deixa mesmo a seleção e o Leverkusen? Comente aí embaixo.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 17 de novembro de 2010 Amistosos, Seleção da Alemanha | 19:56

Alemanha empata sem gols com a Suécia

Compartilhe: Twitter

O empate  com a Suécia foi bom porque deu para Joachim Löw colocar em campo a mais nova geração do futebol alemão. Hummels, Schmelzer, Grosskreutz e Holtby começaram como titulares, enquanto Götze e Schürrle entraram no segundo tempo. Só por isso. Nenhuma grande chance de perigo foi criada por ambas as seleções.

Para mim, Hummels foi o que teve a melhor atuação entre nos novatos. Schmelzer também teve uma participação boa pela esquerda, principalmente no setor médio-defensivo. Não apoiou muito. Holtby esteve tímido, mas ainda assim conseguiu criar boas jogadas. Já Grosskreutz estava sumido, não fez muita coisa. Götze e Schürrle mal  tocaram na bola nos poucos minutos que jogaram.

A boa performance da defesa fez com que Adler não tocasse na bola. O goleirão não fez uma defesa sequer, foi um mero espectador durante os 90 minutos. Khedira e Schweinsteiger foram donos do meio de campo. Boateng fez um bom primeiro tempo pelo lado direito, fazendo uma cobertura perfeita. Beck entrou no seu lugar e também deu conta do recado. E o Mario Gomez? Não marcou, é verdade, mas brigou bastante lá no ataque. O esquema 4-5-1 não favoreceu o atacante do Bayern. Quando Cacau entrou, ele até que se soltou mais.

Por fim, queria destacar a atuação de Marko Marin. Jogou muito, foi o melhor em campo. Aliás, foi sua melhor partida com a camisa da Nationalelf. Talvez ele esteja se sentindo ameaçado com essa nova geração e resolveu jogar bola. Que continue assim.

A Alemanha jogou com Adler, Boateng (Beck), Westermann, Hummels e Schmelzer; Khedira (Kroos), Schweinsteiger (Cacau), Grosskreutz (Götze), Holtby (Schürrle) e Marin (Träsch); Mario Gomez.

Dava para vencer. A Suécia é bem fraquinha, ainda mais sem Ibrahimovic. Se estivessem Özil, Podolski, Klose, Lahm e Müller a história seria outra. Em 2011 eles voltam.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. Última